Mianyang e os primeiros dias no estágio

Cheguei em Mianyang no domingo. É uma cidade de 5 milhões de habitantes, que na China é uma cidade de pequeno a médio porte. A cidade é bastante limpa, convidativa, aborizada e de clima agradável.

O povo da provincia de Sichuan ainda carrega as marcas do terremoto de maio do ano passado, que matou milhares de pessoas e teve seu epicentro bem próximo daqui. Depois da tragédias pouquissímos turistas se arriscam a vir por essas bandas, por isso somos tão bem recebidos. Ao andar na rua somos sempre seguidos por olhares ávidos e curiosos. Sou uma constante atração aqui na cidade.

mianyang

Fui recebido por Ephraim, um carioca radicado em Campinas, que é o coordenador do meu curso. O Ephraim ou Lei Fu (seu nome chinês) é figura conhecida aqui em Mianyang.
Com um mandarim fluente e sempre trazendo grandes grupos para cidade, é o melhor amigo de todos os lojistas. Conversamos muito sobre a China, sobre a medicina e cultura chinesa.
O Ephraim é um sujeito com uma  sensibilidade enorme e me sinto honrado em finalmente conhecê-lo.

No dia seguinte começei meu estágio na clínica de Dor do Mianyang Traditional Chinese Medicine Hospital. Meu primeiro preceptor é o Dr Chen, um acupunturista, vice presidente do hospital e responsável pela clínica mais movimentada da cidade. Ele atende com uma agilidade impressionante, porém sem perder o carinho e cuidado com seus pacientes. Com uma equipe de sete assistentes, o Dr Chen atende uma média de 140 pessoas por dia em uma jornada de apenas 7 horas diárias. Lá os pacientes são ponturados pelo Dr Chen e depois recebem massagem, ventosas e moxa de seus assistentes.

Dr Chen (à frente, à minha direita) e seus assistentes

Dr Chen (à frente, à minha direita) e seus assistentes

 

Dr Chen e eu tivemos uma empatia imediata e apesar de não saber falar chinês, há momentos que sei exatamente o que ele quer dizer. Ele procura sempre me orientar e conversamos bastante sobre medicina chinesa, acupuntura e tradições chinesas. Somos sempre acompanhados pela tradutora Angela, uma estudante chinesa de medicina tradicional.

Acupuntura com emplasto de fitoterápico e eletroestimulação

Acupuntura com emplasto de fitoterápico e eletroestimulação

Fiquei satisfeito ao chegar aqui e ver que fora a dinâmica e o uso constante de ventosas e emplastos fitoterápicos, para esse tipo de padrões de desarmonia minha prática é bem semelhante à do Dr Chen.

A ventosa é realizada 3 vezes por semana

A ventosa é realizada 3 vezes por semana

Na quarta feira tivemos uma demonstração de tai chi chuan, providenciada  por um dos pacientes da clínica, para minha apreciação. Foi um belo show.

Na mesma quarta feira, o Ephraim retornou a sua cidade, perto de Shanghai. Agora ficarei sem um brasileiro por perto pela primeira vez. Mas não vejo dificuldades pelo caminho. Estou muito feliz com as demonstrações de carinho que venho recebendo aqui. Estou aprendendo muito e sedento por mais conhecimento.

3 Comentárioa

  1. Lud
    Postado em 07/04/2009 às 19:30 | Permalink

    Impressionante,como a sala de ventosas lembra uma sala de Fisioterapia por aqui. Todo mundo sendo tratado junto.
    Fico feliz em saber q vc foi bem acolhido e q ja esta colhendo frutos dessa experiencia tao fantastica.

  2. ney yoshikazu takea
    Postado em 11/01/2012 às 07:32 | Permalink

    Olá, gotaria de saber mais sobre esse curso que você realizou na china. Sou fisioterapeuta especialista em acupuntura, Meu TCC na faculdade e na pós envolvia dor e acupuntura, fiz minha inscrição em pós em dor no Hosp Albert Einstein. Tenho pretensão de um dia realizar o mesmo percurso que você fez para adquirir mais conhecimento com acupuntura para tratamento da dor.
    Obrigado. Abraços.

  3. Postado em 11/21/2012 às 04:14 | Permalink

    Olá Ney, entrarei em contato por email. Abraço!

Comente

Seu email NÃO será compartilhado. Campos obrigatórios *