Templo do Céu


Conhecer um Beijing, nos intervalos de meus estudos é um bônus sem tamanho. Apesar de estar sendo progressivamente modernizada e transformada, a cidade ainda preserva vários monumentos históricos, hoje completamente restaurados e bastante concorridos.

A cidade possui nada menos que seis monumentos considerados pela UNESCO Patrimônio Cultural da Humanidade. São eles: A Cidade Proibida, o Palácio de Verão, a Grande Muralha, o Templo do Céu, o Sitío do Homem de Pequim e os Túmulos das dinastias Ming e Qing.

Além desses, há inúmeros outros, entre templos, parques, torres e praças que também impressionam o visitante. Enfim, se precisa de tempo para ver tudo e também muita paciência, pois essas atrações estão sempre cheias, principalmente no mês de julho durante as férias escolares.

Há dois anos atrás, em uma rápida semana de turismo em Beijing, consegui visitar a Cidade Proibida, o Palácio de Verão e a Muralha. Uma frustração no entanto foi não ter ido ao Templo do Céu. Cheguei perto. Já dentro do parque onde é situado, vimos os portões se fecharam bem em nossa frente. Por apenas alguns minutos, tive que adiar a visita em dois anos.

Já na nova casa e com novos amigos, pude matar a vontade em um belo domingo de sol e céu aberto, algo raro por aqui nos dias quentes e úmidos de verão. Convenci os companheiros de república e após 20 minutos de metrô, estávamos à porta do Parque do templo do Céu.

O Parque é belíssimo, com bastante verde e o tradicional paisagismo impecável praticado pelos chineses. É utilizado por várias pessoas para praticar Tai Chi, correr, caminhar ou simplesmente relaxar.

Como toda atração turística da China, estava completamente lotado. Grupos de excursão de chineses interioranos se amontoam diante dos prédios mais pomposos. A cada nova visão, uma foto diferente, criando um verdadeiro congestionamento de fotógrafos amadores.

No entanto, tamanha confusão não é sinônimo de irritação e os chineses sabem melhor do que ninguém desfrutar uma fila ou uma boa espera. Em um país com 1 bilhão de habitantes, irritar-se com filas é perda de energia desnecessária e é um bom exercício para nós ocidentais.

O prédio principal do Templo do Céu sempre me impressionou muito. Com seu formato completamente diferente dos templos espalhados pela China, seu formato cilíndrico e a beleza de suas cores. Um desapontamento frequente aqui é a impossibilidade de entrar nos salões, algo que já me havia chamado atenção na Cidade Proibida, mas que talvez se justifique devido à enorme quantidade de turistas recebidos.

Aos poucos vou passando pelos lugares que deixei de visitar na primeira viagem. E também, enquanto isso, aproveito para desfrutar o melhor que uma cidade de contrastes como Beijing tem para oferecer, algo que só se pode conhecer morando por aqui. É um período interessante para vivenciar isso. A mudança da velha China rumo ao futuro, com suas escolhas de erros e acertos e com Beijing sendo o grande centro de tudo. O velho e o novo, em um processo de conflito e transmutação, análogo às características paradoxais e complementares do Yin e Yang.

 

2 Comentárioa

  1. Lud
    Postado em 08/10/2011 às 20:02 | Permalink

    ei Timtim,

    q bom q vc esta tendo tempo de ver e rever as coisas com mais clama e com outros olhos tb. Nada melhor do q ter tempo pra essas coisas. as fotos do lugar sao realmente lindas. e eh dificil de imaginar algum lugar vazio com uma populacao desse tamanho… como estao suas aulas de mandarim? Aqui eh mto comum o pessoal encontrar em cafes e uma pessoa ensina uma lingua a outra.Asim fica mais barato e de certa maneira mais interativo. Nao sei se seria dificil encontrar alguem q queira aprender portugues, mesmo q seja so pra rir um pouco:)
    tento falar com vc no fim de semana. bjim.

  2. tati
    Postado em 08/15/2011 às 23:23 | Permalink

    Nossa lendo esse texto, recorri às minhas fotos e vídeos que fizemos dos gramados e as pessoas dançando e as musicas saindo das caixas de som que são tambem luminarias… boas recordações. Que delicia poder relembrar, Betinho! Obrigada!!!
    obs: nao visitei o museu do Relógio e nem o sítio do homem! se puder e tiver tempo, tire fotos!!!!
    beijo

Comente

Seu email NÃO será compartilhado. Campos obrigatórios *