Sobre cuidado e gentileza

 

Após 8 anos em contato direto com terapeutas, acupunturistas, médicos e profissionais da saúde em geral, uma característica se destaca naqueles que considero os melhores.

Cuidar do outro nunca é tarefa fácil. O conhecimento técnico é uma premissa fundamental. Não é mais do que obrigação do profissional se manter atualizado e conhecer as formas e meios de tratamento de seus pacientes. Mesmo os casos aparentemente mais simples podem se mostrar mais complexos e difíceis. Colocar se no lugar do outro, engajar-se na tarefa do cuidado, orientar de forma correta e atuar de acordo com o que se pratica e se conhece de melhor são parte do comportamento do profissional de saúde competente.

Durante meus anos de estudos e prática clínica o que mais me chama atenção nos profissionais que realmente conseguem resultados eficazes é a gentileza no tratamento e cuidado com o outro. Desde pequenas clínicas de Reiki a grandes hospitais de Medicina Ocidental e Chinesa que frequentei os que se destacam, que são mais procurados e mais demandados sempre tem em seu comportamento esse elo de ligação.
Não falo aqui nesse do efeito placebo, que ocorre em qualquer tipo de tratamento, seja na acupuntura, na psicoterapia ou mesmo em cirurgias. O bem querer e a simpatia sozinhos não tratam ninguém e amizade não cura. O que menciono aqui é uma preocupação profissional que envolve zelo, carinho e atenção.

Quando se trata do atendimento em saúde no país mais populoso do mundo, com mais de 1 bilhão de habitantes, isso se torna ainda mais evidente. A correria reina nos hospitais chineses. Em um sistema de saúde em que o profissional ganha por produção, atender o maior número de pacientes por dia significa dinheiro no bolso. Assim, muitos acupunturistas não dispendem tempo devido ao paciente, algo muito semelhante ao que acontece no sistema médico brasileiro de planos de saúde. Nesse ponto, Dr Wang me surpreende sempre, pela atenção que tem com seus pacientes e a forma gentil e tenra que os trata. Primeiramente, está sempre de bom humor, não corre e não se apressa. Trata todos com um carinho enorme, semelhante ao amor de um avô à um neto. É também assim com seus alunos, sempre respondendo à suas perguntas e sempre os tratando como iguais. Se interessa por dúvidas, por perguntas e sempre convida à reflexões.

Sua forma de atuar reflete bem isso. Não teme trocar pontos quando acha que os localizou de forma equivoca, faz uma anamnese profunda e detalhada e sempre se recorda bem dos pacientes. Acalma sempre os pacientes que tem fobias de agulha e compartilha seus receios. É um grande contador de histórias. Seus inúmeros casos clínicos sempre vêm à tona quando nos faz explanações teóricas. Certa vez, disse que a Acupuntura deve ter uma precisão cirúrgica e deve ser aplicada com tal atenção. Isso mostra o nível de comprometimento de um senhor de 74 anos de idade que ainda pratica Medicina Chinesa com vigor e exuberância.

Após um mês juntos, sinto-me contagiado por sua simpatia, seu vigor e principalmente sua forma gentil de atuar. Se o reflexo ainda é imperfeito, o espelho já está em seu devido lugar.

Um Comentário

  1. tati miranda
    Postado em 08/10/2011 às 08:46 | Permalink

    Salve, Betinho!
    É tão bom poder ler um texto que resgata toda nossa crença num verdadeiro tratamento por acupuntura! Sempre me vi tentando ao máximo conhecer a fundo a história do paciente. E, hoje com o seu texto vejo que estou no caminho certo. Fico realmente chateada com o descuido que vemos aqui nos planos de saúde. A produção é quem manda. Enfim, salve Dr Wang!!!!!! Fico bem agradecida a voce, Betinho, por esses textos, que matam um pouco minha saudade da China e tambem por me fazer acreditar na verdadeira MTC.
    Beijo grande
    Tati

Comente

Seu email NÃO será compartilhado. Campos obrigatórios *