Labutando em Bombaim


Um mês de Índia. Tão pouco tempo, tantas coisas novas. Passei por uma verdadeira montanha russa de sensações, emoções e sentimentos. Logo quando cheguei, senti o enorme peso da responsabilidade à qual me candidatara: assumir duas clínica nas favelas de Mumbai, além de treinar e ensinar a equipe de acupunturistas indianos. A expectativa da equipe era grande e Walter Fischer, idealizador da ONG Barefoot Acupuncturists, se ausentaria por quase um mês logo após minha chegada.

Desembarcar em uma cidade caótica como Mumbai e ir direto à sua área menos privilegiada não foi fácil. Tive que encarar de perto uma realidade que está sempre próxima no Brasil, mas que somos ensinados a evitar. Além disso, uma quantidade de pacientes com a qual nunca havia lidado antes, com consultas realizadas por intermédio de tradutores, não foi nada fácil. Em minha primeira semana questionei meus métodos, minha formação e minha capacidade. Preocupei-me bastante em fazer o melhor trabalho que posso, mas isso não é suficiente quando os resultados não aparecem. É preciso fazer acontecer. É necessário o retorno. Isso é imprescindível para qualquer acupunturista, seja aqui, no Brasil ou na China. O medo e a insegurança nos rondam como fantasmas em uma casa assombrada. Era óbvio que não seria fácil, mas não sabia como eu me comportaria diante de tal situação. Pensei nos vários pacientes que já tratei, nos sucessos e fracassos. Ser eu mesmo e ir à luta era a única opção.

Aos poucos me adaptei à rotina da clínica e consegui imprimir meu ritmo de trabalho. Reavaliei praticamente todos os pacientes que passaram por mim. Estou aos poucos ensinando meu método de avaliação para a equipe e passando minha experiência. Continua não sendo fácil. Aqui me confronto com minhas deficiências como terapeuta diariamente, e para isso só há um remédio: estudo. Abraço os livros e busco respostas e refinamento. Nesse período, o apoio à distância da família e amigos foi fundamental. Agradeço imensamente às inúmeras mensagens que recebi através do blog. A equipe da Barefoot me recebeu de braços abertos e sou muito grato pela hospitalidade e confiança depositada. Sigo firme na caminhada.

Acupuntura necessita tempo. Após algumas semanas, os resultados começam a aparecer. A mudança na forma de questionamento e a constante reavaliação dos pacientes é peça chave para isso. Ao coletar o máximo de informações possível, posso, através delas, confrontar o paciente sobre seu estado prévio e o atual. A pergunta muda de “como está a dor?” para “sente dor ao caminhar, ao subir escadas?”. Parece simples e óbvio, mas nem sempre é, e ás vezes o paciente relata nenhuma melhora, mas ao ser perguntado sobre os mecanismos que desencadeiam sua queixa é que se tem uma noção mais aproximada da sua evolução. É papel do terapeuta extrair essas informações e adaptar seu tratamento conforme a progressão.

Além disso, não podemos nunca desconsiderar o ambiente hostil em que essas pessoas vivem. Muito trabalho, pouco dinheiro e descanso, obesidade, clima extremamente úmido e quente e histórias de vida duríssimas. Fico feliz por poder dar algum alívio à essas pessoas.

Hoje sinto-me extremamente confortável trabalhando na Barefoot Acupuncturists. Chego à clínica e tudo está pronto, a clínica está limpa, os pacientes acomodados em suas macas com seus registros. Uma competente assistente que me distribui as agulhas e coloca moxa ou eletroterapia, quando necessário. E ainda soma-se o fato de não preocupar em receber dinheiro, pagar aluguel ou qualquer tipo de conta. Acho que vou ficar mal acostumado.

Brincadeiras à parte, é um desafio que estou desfrutando profundamente. São vários casos todos os dias, alguns realmente intrigantes. Como citei anteriormente, é um confronto diário com minhas deficiências. E que me move, me faz seguir em frente.

Walter acabou de chegar e conversamos sobre o funcionamento da clínica. Teci inúmeros elogios e apontei algumas mudanças que julgo necessárias, principalmente no acompanhamento dos pacientes. Pedi um feedback sobre meu trabalho também. Walter é extremamente zeloso com a Barefoot e sei que se mantinha bem informado sobre sua situação. A equipe demonstra gostar do meu jeito brincalhão e tranquilo nos momentos de ócio, e ao mesmo tempo minha seriedade quando estou com os pacientes. Ujwala, braço direito de Walter na ONG, perguntou a dois pacientes sobre o que achavam sobre o tratamento. Segundo Walter, uma relatou 99% de melhora, enquanto a outra, 95%. Nada mal. No entanto, faço isso há tempo suficiente para sempre me alegrar com os resultados positivos, mas estou ciente de que é algo que se deve buscar todos os dias e que há casos que infelizmente, o resultado não aparece de forma tão contundente. Relembramos os meus primeiros dias, de como senti o peso e a responsabilidade, e Walter revelou ter sentido receio ao ir para Europa, mas naquele ponto, não tinha mais opção. Agora, pareço ter ganhado sua confiança.

Para os próximos dois meses, nada de descanso. Walter e eu prepararemos aulas para ministrar aos acupunturistas e também uma apresentação para uma ONG de médicos que está presente em 37 vilas indianas, com a qual queremos colaborar. Estou feliz em contribuir com um projeto que desejava fazer parte há muito tempo e que em retorno me faz não só um acupunturista melhor, mas também uma pessoa melhor.

13 Comentárioa

  1. Gerson
    Postado em 11/19/2011 às 11:25 | Permalink

    Parabens Dr. Alberto, todos nós nos sentimos orgulhosos não só com seu
    maravilhoso trabalho, mas tambem com a grande pessoa que você tem
    demonstrado ser.Um abração Gerson

  2. Ana
    Postado em 11/19/2011 às 16:03 | Permalink

    Olá meu brother! Lembrei-me de dois versículos da bíblia que dizem:
    “Aqueles que dão consolo serão consolados” “E há mais felicidade em dar do que receber”. Em um ambiente assim, de tanto sofrimento, lutas e dificuldades, o lado emocional conta mais do que a técnica e você sabe muito bem trabalhar este lado…”Tu te tornas eternamente responsável por tudo aquilo que cativas”. E o amor pelas pessoas é capaz de ganhar a confiança e respeito delas, com certeza é admirável esse trabalho, vc deixará muitos frutos do seu trabalho e receberá uma recompensa de paz. Continue firme e nos momentos de medo, siga em frente, pois somos capazes de vencer todos eles, amo vc! bjs,

  3. celso ferrira
    Postado em 11/19/2011 às 17:11 | Permalink

    Betinho, Aninha disse tudo o que gostaria de lhe dizer ( naturalemente sem as citações), siga o seu caminho, seja firme e confiante. Abrs. bjos, tio 1/2 Kilo, como vcs se acostumaram de me chamard

  4. Roberta
    Postado em 11/20/2011 às 00:07 | Permalink

    Fôlego! Não há melhor propósito que ajudar alguém a recuperar a saúde.

  5. tati
    Postado em 11/20/2011 às 18:05 | Permalink

    Perseverança e fé no seu trabalho! Sorte!!

  6. Claudio Ferreira
    Postado em 11/21/2011 às 14:06 | Permalink

    Grande Betinho,
    tava sentindo falta dos seus posts. Imaginei que o bicho tava pegando por ai. Sua experiencia tem sido um grande aprendizado prá todos nós.
    Boa sorte.

    Abraços

  7. Raimundo Arruda filho
    Postado em 11/22/2011 às 08:48 | Permalink

    Parabéns Betinho por sua força de vontade em encarar todas essa dificuldades e que o fazem ser a cada dia, uma pessoa especial.Boa sorte.

  8. Luiza Barros
    Postado em 11/23/2011 às 10:20 | Permalink

    Betinho, parabéns pelo trabalho. É lindo!

    beijo grande

  9. beto
    Postado em 11/23/2011 às 21:56 | Permalink

    Betinho

    Parabéns; vejo que você tem uma grande capacidade de se adaptar a situações adversas. Isso é muito bom e valioso. Continue com essa persistência; como você mesmo está testemunhando, os resultados logo aparecem. Com isso, a sua realização pessoal com seu trabalho se torna mais presente, compensando as provações que você tem passado. Logo elas passarão e você poderá , no futuro ,se lembrar delas com muito carinho e compreensão. E , sobretudo, com enorme satisfação. Você me faz sentir orgulhoso por suas realizações. Muitos beijos.
    Beto

  10. Postado em 11/24/2011 às 13:25 | Permalink

    Obrigado pessoal. De fato o bicho está pegando e estou tendo muito trabalho. Estou adorando a experiência e com saudades de todos.

    Abraços!

  11. Lud
    Postado em 11/28/2011 às 00:02 | Permalink

    Eh isso ai Betinho… fico feliz q eles tem pessoas como vc q se dedica profundamente a causa e trabalha intensamente por algo melhor e maior. Muita forca, muita garra…vc tbm vai ver os frutos da sua dedicacao e perseveranca.

    bjo grde
    Lud

  12. Guilherme Machado
    Postado em 11/30/2011 às 18:43 | Permalink

    mensagem

  13. Guilherme Machado
    Postado em 11/30/2011 às 18:44 | Permalink

    Grande Betinho, parabéns pelo trabalho aí na índia, muito legal seus relatos e fotos. Faz falta um Betinho aqui em SP.
    Abração!

Comente

Seu email NÃO será compartilhado. Campos obrigatórios *