Descobrindo os caminhos sagrados de Emeishan

Toda viagem reserva algo especial, que não se espera, que te arrebata. Nessa minha viagem, é o caso de EmeiShan. Confesso que há poucos meses antes da viagem, nunca nem tinha ouvido falar em tal lugar. Porém ao procurar mais informações sobre a província de Sichuan, me deparei com essa enorme sagrada montanha, com mil histórias para contar. Fiquei curiosíssimo e busquei o máximo de informações possíveis sobre a montanha.
Emei Shan possui 3099m de altitude é um dos locais mais sagrados e visitados da China. Local de perigrinação, a montanha recebe todos os anos, inúmeros turistas em busca de  paisagens harmônicas, templos sagrados, aventura e caminhada, muita caminhada!
A maioria dos templos de Emei Shan são dedicados a Puxian, um bodhisattva da benevolência universal, que teria subido a montanha no século 6 montado em um elefante de 6 presas.
A região onde está localizada Emei é tão úmida que a nublina toma conta do lugar. No tempo que eu estive lá, não era possível ver a montanha nem do pé.
Eu tinha pouquíssimo tempo para subir Emei e escolhi subir até um templo próximo ao pico de ônibus, chegar ao pico e fazer a descida à pé. Peguei o primeiro ônibus em direção à uma rodoviária situada a 4km do topo. Chegamos lá às 7 e 40 da manhã. Neblina forte e nenhuma visibilidade do horizonte. Eu imaginava que o percurso fosse de trilhas mas para minha surpresa, eram um caminho bem demarcado e bem feito e com degraus, muitos degraus.

A mata fechada e a nublina sempre presentes

A mata fechada e a neblina sempre presentes

Logo de cara Emei se mostrou. O maior símbolo da montanha, os macacos, logo apareceram na trilha para receber os turistas e principalmente suas guloseimas. Os macacos de Emei são famosos por sua próximidade com os humanos e pela sua ávidez em busca de qualquer sinal de comida que o visitante possa oferecer ou vacilar e deixar à mão. Eles não perdoam e tentam pegar qualquer comida que esteja ao seu alcance. E podem o fazer de forma bem agressiva. Há inúmeras recomendações para não alimentar os macacos com besteiras, solenemente ignoradas pelos turistas chineses. Mas são de fato uma atração à parte.

E aí, vai encarar?

E aí, vai encarar?

Jieyin Dian, a primeira parada

Primeira (curta) parada, Jieyin Dian

Após alguns minutos de caminhada, um grande templo e um clima incrível. Grandes varandas para observação da paisagem. Por ser local de perigrinação à anos, os templos de Emei oferecem acomodação e alimentação aos visitantes e no templo de Jieyin encontrei um casal de espanhois e uma inglesa, que me fizeram companhia na subida ao topo.
Após uma súbida bastante íngrime, degrau por degrau, chegamos ao topo. Que visão incrível. Dois grandes templos, o Dourado e o Prateado, e a grande estátua de Puxian, montado em seu elefante de 6 presas. A subida é bastante difícil e para muitos que subiram desde o ínicio, aliada à felicidade de chegar ao topo estava uma grande sensação de alívio. Sensação esta que eu viria a descobrir no dia seguinte, ao final da minha própria jornada. Entrei nos templos, novos agradecimentos e após um breve momento de contemplação, já era hora de iniciar a descida. Tinha ainda diante de mim quase 30 km, de descida, mas  eu nem imaginava o que me esperava.

Por cima das nuvens, no topo de Emei
Por cima das nuvens, no topo de Emei
Puxian e seus elefantes
Puxian e seus elefantes
Se para subir o pulmão é o mais importante, para descer a força das pernas e bons joelhos são que mais importa. Após alguns muitos quilômetros, a escadaria interminável de Emeishan se torna extremamente cruel. Demanda bastante esforço e eu, com uma mochila muito maior do que era necessário, tive que suar ainda mais. No entanto, a paisagem deslumbrante de mata fechada sempre serviam de recompensa. Emei abriga grande diversidade botânica. O tempo permaneceu nublado toda a caminhada, que amenizava um pouco o esforço. Há mais de 10 templos em seus caminhos e encontrar cada um deles era sempre ótimo. Apreciar, descansar e novamente seguir viagem. Também durante todo o percurso há vários pequenos restaurantes e vendas de souvenirs, placas mostram o caminho e localização do visitante com frequência. A montanha também oferece um serviço chamado de Jampa, que são na verdade carregadores das pessoas que não aguentam a subida ou descida.
Um jampa e sua cestinha de carregar gente
Um jampa e sua cestinha de carregar gente
Descendo sozinho, passei por ótimos momentos na montanha. Senti uma energia muito boa e caminhei de bom humor sempre. Os templos, a mata, os macacos, os chineses, tudo me fazia muito feliz e tranquilo. Agora já estou um pouco mais adaptado ao país e já consigo arriscar algum mandarim. Sempre me paravam para perguntar de onde eu era. É ótimo ser brasileiro e eu adoro a forma entusiasmada que os chineses falam Baxi, baxi ren, Brasil e brasileiro, respectivamente.
Escadaria sem fim
Escadaria sem fim
O maior problema da caminhada de Emei é saber a hora certa de parar. A montanha é muito visitada e é importante assegurar uma vaga em algum templo para passar a noite. Às 5 da tarde, cheguei ao templo de Hong Chun Ping após 22km descendo escada abaixo. O próximo templo ficava a 6 km de distância. Durante os quilômetros anteriores tive a companhia de vários macacos, alguns um pouco agressivos. Durante todo o percurso há placas previnindo os turistas contra ataques de macacos e sugerindo que as pessoas tomassem conta uma das outras e eu estava sozinho. Aquelas eram palavras nada encourajadoras. Decidi então ficar no Hong Chun Ping, ou Terraço das Veneráveis Árvores, um mosteiro budista. Um lugar muito agradável, cama barata, comida vegetariana (apimentada,claro) e muita tranquilidade. Dormi como um anjo.
O Terraço das Árvores Veneráveis

O Terraço das Árvores Veneráveis

No domingo eu tinha que pegar o ônibus para Mianyang às 13:30. Decidi então visitar o Qingyin Ge e tentar terminar minha viagem no mosteiro Wannian, a construção mais antiga de Emei. Passar a noite em um templo budista é uma experiência incrível. Durante todo o tempo, monges entoando cânticos e um clima de paz e leveza contagiantes. Saí às 6 da manhã e uma hora depois estava em Qingyin Ge, um dos locais mais bonitos de Emei. Seguindo em frente, intermináveis degraus subindo, rumo ao Mosteiro Wannian. Mais uma (longa) hora de caminhada. O mosteiro Wannian é um grande complexo com vários prédios e centenas de imagens de Buda, Puxian e outras divindades budistas. Foi um ótimo ponto final. Passei ótimos momentos em Emeishan. Foi uma jornada de introspecção, sacrifícios e muita felicidade. Faço aqui a promessa de um dia voltar para fazer a subida e a descida, sem pressa, sem compromissos.
Wannian Si, a última parada

Wannian Si, a última parada

12 Comentárioa

  1. Lu
    Postado em 07/21/2009 às 14:23 | Permalink

    Simplesmente perfeito! Do lado de cá do mundo a gente também se emociona, contempla, imagina… Vive um pouquinho cada momento! E só em contar os dias, meu coração palpita: um misto de alegria por tudo oq vc conquistou e muita, muita saudade!!!

  2. celso ferreira - tio 1/2 kilo
    Postado em 07/21/2009 às 14:50 | Permalink

    Betinho, poxa, vc. está me saindo um escritor de mão cheia. Quando voltar, se a acupuntura não lhe tornar mais famoso – para quem não sabe – Alberto Cantídio é o famoso acupunturista de Belo Horizonte, segundo o Google – certamente vc. ficará, ainda mais conhecido, se escrever um livro. bjos tio 1/2 kilo

  3. Silvia Pedroso
    Postado em 07/22/2009 às 12:27 | Permalink

    Incrível. Deu vontade de conhecer.

  4. Gustavo
    Postado em 07/22/2009 às 17:06 | Permalink

    Eu adoraria fazer uma viagem espiritual dessas. Muito legal o relato.

  5. Ilma Ferreira
    Postado em 07/22/2009 às 17:54 | Permalink

    Betinho estou feliz e saudosa com esta sua viagem de estudos nesse país de tanta história e tradição. Pelas fotos e relatos no seu
    site, fica a certeza de que sua escolha foi acertada. Cada dia fico mais orgulhoso de você meu filho. Mil beijos e volte logo.

    Sua mãed

  6. Gerson Soares Lopes
    Postado em 07/22/2009 às 18:04 | Permalink

    Olá Betinho
    Eu, como seu paciente, posso confirmar a sua competencia com as
    agulhas e com as mãos. Agora depois dessa sua viagem de estudos
    no berço dessa antiga técnica e milenar cultura, com certeza sua capacidade de aliviar o sofrimento de seus pacientes será cada dia melhor. Parabens.

    Um abração saudoso Gerson

  7. mara
    Postado em 07/23/2009 às 15:36 | Permalink

    Betinho,
    Me emocionei c/ seu passeio pela montanha,pude sentir a paz q/ vc relatou.Fico feliz em te ver vivenciando estes momentos fantásticos
    Bjos.Mara

  8. Glícia
    Postado em 07/23/2009 às 22:56 | Permalink

    Estou muito feliz de ver seu crescimento e dedicação, porque vc além de se aprimorar na técnica está se aprofundando também na cultura.Parabéns pelo trabalho,q vc tenha muito sucesso.Estou orgulhosa por ser sua paciente,e vejo q poderemos talvez ter tb um livro de “Minha viagem a China” pq vc está se saindo muito bem na narrativa.Vamos ficar muito metidos com um acupunturista internacional heim!!!
    Abraço e felicidades…

  9. Gisele
    Postado em 07/26/2009 às 16:35 | Permalink

    Betinho, que bom que você está aprofundando seus estudos. No seu retorno, voltarei a experimentar as suas agulhinhas mágicas que tanto me aliviam!
    Beijos, Gisele.

  10. Paulo Mota
    Postado em 07/26/2009 às 20:32 | Permalink

    Fiquei sabendo do seu site pelo seu cunhado Gustavo.
    Que qualidade!
    Vejo que você se tornou uma valiosa fonte de informações pra quem se interessa pela Medicina Tradicional e pela cultura chinesas.
    Meus parabéns,

    Paulo Mota de Moraes

  11. Lud
    Postado em 07/26/2009 às 22:26 | Permalink

    Poxa vida!tem q ter um joelho mto bom pra aguentar essa escadaria toda.
    ai q inveja!
    vamos comemorar sua viagem e seus descobrimentos em breve.
    bjo,saudade.

  12. Daisy
    Postado em 07/30/2009 às 16:42 | Permalink

    Betinho,
    Que lugar, que paz, quanta beleza! Parabéns pelas descobertas e acertadas escolhas. Estamos torcendo por você. Já posso deixar meu horário marcado? Grande beijo. Daisy. O José Carlos ficou emocionado com as imagens e lhe envia um abraço!

Comente

Seu email NÃO será compartilhado. Campos obrigatórios *